domingo, 2 de janeiro de 2011

O ano do coração....


                Sinto que o coração é o pai de 2011, sem nenhuma base lógica, apenas sinto, como um conhecimento que surge do nada, coisa do coração, que não tem explicação.  Pensar assim tanto me assusta quanto me instiga, surge uma curiosidade de como será um ano com menos lógica.
                Menos lógica, menos razão, mais emoção, será que consigo me entregar a essa possibilidade, dúvidas, medos, um caminho que não costumo percorrer, mas confesso  que cada vez mais penso em me perder ou me encontrar por eles.
                Além de coração sinto também que devemos harmonizar tudo isso com o espiritual, e acreditar no bom, me sinto meio delirante escrevendo sobre estas coisas, porém,  acaba sendo uma conseqüência natural da linha de pensamento que iniciei, o coração mandando, guiando.
                Usemos a razão apenas como um pequeno lastro de bom senso, como um mecanismo para não nos ferirmos, já que no coração temos extremos muito expressivos, a intensidade do amor pode ser proporcional a intensidade da dor, um pouco de cuidado não faz mal a ninguém, embora sem exageros, pois do contrário o coração se retrai e a mente controla.
                Então façamos o que gostamos, fiquemos com quem amamos, lutemos pelo que queremos, sonhemos, façamos de 2011 um coração latente e fluido, repleto de amor, realizações e sentimentos bons.
                Encontremos nos nossos um porto seguro e sejamos também, família, amigos, amores, animais de estimação, que seja comunhão e confraternização.

Sérgio Pereira,
Caruaru, 02 de janeiro de 2011, 12:22