sábado, 24 de novembro de 2012

Um novo amanhã.




                Ter cuidado, pensar bem antes de escolher um caminho, tentar prever as possibilidades, tudo a partir do que vivemos até então e do que vemos agora. Julgar, decidir escolher, acreditando que as observações pertinentes irão mudar, ou melhor, diminuir, o risco de algo negativo ou ruim acontecer.
                Verdade ou ilusão?
                Fato: nunca saberemos.
                O amanhã é e sempre será uma incógnita, mas nossos atos têm consequências e mudam a todo tempo nossa trajetória, criam novos vieses, porém, não acho justo que estanquemos nossas vidas, até concordo que algumas pausas sejam necessárias de acordo com os percalços vivenciados, mas pausas, apenas pausas.
                Olhar para trás, desaprender o que não está certo e aprender de forma correta, este sim é um grande desafio, crescer.
                O risco da vida é viver, não há um mapa que nos diga o caminho correto, ele é feito no dia a dia, como um artesão que talha a madeira, talhamos nossas vidas continuamente, parar é morrer em vida, mesmo que por um tempo determinado, é perda que não se repara, apenas se esvai.
                 Então, lutemos para que nossas pausas sejam curtas, pois elas existirão, e nessas pausas que consigamos enxergar além da neblina que nela se instala, há possibilidades e esperança em todos os lugares, precisamos estar abertos para enxergar.
                E sim, tenhamos cuidado, pensemos melhor antes, mas que não deixemos de lado os nossos instintos, o nosso coração, pois o amanhã só saberemos quando acordarmos.
Ricardo Pereira.
Recife, 25 de novembro de 2012, 00:17

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Sementes de Esperança



Tenho plantado sementes de esperança
Tenho regado sementes de esperança
Mesmo na terra escura
Aparentemente sem vida
Um tanto seca
Tenho insistido nas sementes de esperança
Alguns brotos começam a sair
A buscar o sol
Alimentando a planta

Fotossíntense
Seiva
Folhas
Força, vontade de viver
Crescer

Esperança que se entrelaça
Fortalece
Floresce
Frutifica
E volta a semear

A terra vive
Respira
E os novos ciclos se renovam

Verde.

Ricardo Pereira,
Recife, 19 de novembro de 2012, 21:39