You are my person?!

Realmente existe um alguém ou temos de ter um alguém, a tal pessoa, The one? Todas estas interrogações são jogadas ao nosso encontro sem respostas. Como numa formula mágica que pode definitivamente solucionar todo e qualquer problema: Alguém que você sempre em qualquer situação pode contar, alguém para falar e compartilhar, alguém que no momento de solidão e medo vai te amparar, alguém para festejar na mais alta felicidade e te cuidar quando estiveres por baixo. Penso que em algum nível entre a imaginação ficcional e a realidade devam existir várias pessoas próximas disto, porém, na realidade tudo é menos clipe, seriado de tv ou cinema, na realidade existem tantas outras variantes que podem fazer o sonho da perfeição desta pessoa  ser diferente,  menos película e um pouco mais VHS.
    Mesmo com esse tom não tão positivo, pasmem, acredito que estas pessoas existam, nossas escolhidas, porém não creio em uma, creio em várias e para situações diferentes, ao longo da vida vamos encontrando e sendo as pessoas de outras pessoas, em diferentes tipos de relacionamentos, tanto de amizade quanto e amor. Encontramos e somos estas pessoas que ouvem, conversam, incentivam, respeitam admiram, choram, seguram a mão, ficam ali paradas sem dizer nada, apenas bebem e brincam, dizem o que não queremos ouvir, que festejam a vitória, enxugam nossas lagrimas, e quando nada dá certo dizem que vai passar que vai melhorar, são estas pessoas, eu, você, responsáveis pela construção do sentimento mais lindo que eu conheço na minha vida até hoje, amizade.    
    Algo que ao longo da vida vai ficando cada vez mais raro, não pela impossibilidade de existir ,mas pela nossa dificuldade de percebê-lo, pois, está em todo lugar. Penso que essa dificuldade vem do medo que temos incondicional e instintivo de perdê-lo, esse medo nos cega um pouco e o que conseguimos temos que manter. No meio dessa vida contemporânea e alienada, na qual nada é suficiente, e somos impelidos cada vez mais ao egoísmo e a pensar que o consumo resolve tudo, que preenche aquele buraco subjetivo da alma, que nos acalenta no final do domingo, é sempre mais difícil não ter medo, como lutar contra a correnteza.
    Eu creio que existe mais de uma pessoa para ser sua ou minha pessoa, e elas virão e irão ao longo da vida, serão sempre inesquecíveis, sempre me lembrarei delas, sempre as amarei, pois elas estão marcadas em mim e creio que todos somos feitos destas marcas de pessoas em nossas almas, delas sinto falta, respeito e amor, encontrarei outras, algumas permanecerão ao meu lado durante minha vida, outras serão memórias  que me farão rir ou chorar de felicidade ou saudosismo com a certeza de que construímos momentos eternos uns para os outros. 

Sérgio Pereira,
Caruaru, 22 de agosto de 2010.

Comentários

  1. cadê eu nesta foto? cadê cadê? ah já sei, falando com manoel ao telefone :P

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Desejo, poder, perversão.

O seu mundo é só seu

Luto, subterfúgio, passagem